Fundação Pró-Memória de São Carlos

Fundação Pró-Memória de São Carlos

Projetos Finalizados

Projetos finalizados 2015-2016

 

- Projeto “Histórias curiosas de São Carlos”: é um projeto de história e memória local que reuniu relatos da população do município sobre contos, causos, histórias curiosas e brincadeiras relacionadas a São Carlos. A Pró-Memória em parceria com o Estúdio Lucidi firmou uma parceria para a execução do projeto e deu origem a publicação "Histórias Curiosas de São Carlos" (2016).

 

Casos e causos da cidade de antanho*

O projeto “Histórias Curiosas de São Carlos” nasceu da proposta da Diretoria de Patrimônio Cultural da Pró-Memória em destacar as pequenas histórias e causos contados principalmente pelos mais velhos, quando rememoram seus passados ou fazem suas rodas de conversa. Tais histórias trazem modos de viver, pensar e interpretar o cotidiano e o desconhecido de forma peculiar e que, muitas vezes, são estranhos ao que hoje compreendemos e vivemos como “normal”.

Vivemos um momento em que esse tipo de patrimônio, o imaterial, ganha espaço e importância na construção identitária de grupos e comunidades, na composição das histórias locais e na valorização das memórias das diferentes pessoas que compõem o tecido social.

Os casos e causos relatados pelos mais velhos – ou rememorados pelos mais jovens – não apenas têm a função de integrar quem os ouve, mas marca memórias e tradições da região em que vivem. A transmissão desses conhecimentos e experiências aos ouvintes oferecem percepções distintas sobre a construção desse lugar em que estão todos inseridos social e espacialmente.

Lançado o projeto, a Pró-Memória fez parceria com o Estúdio Lucidi, escola de desenho que, por meio de uma iniciativa de seu proprietário Filipe Lucidi, já havia desenvolvido histórias em quadrinhos sobre o que ouviu, enquanto criança, dos moradores do bairro do Monjolinho (atual Vila Celina). A parceria amadureceu e ampliou o escopo das narrativas, dando origem ao livro “Histórias Curiosas de São Carlos”. Nessa obra, misturam-se relatos, quadrinhos e ilustrações que dão cores e formas aos causos, personagens e historietas contados pelos entrevistados de diferentes regiões da cidade.

A São Carlos presente nessa obra é bem menor do que aquela a que estamos acostumados. Até os anos 70, boa parte da cidade ainda vivia um clima rural e a iluminação era praticamente restrita ao centro da cidade. Mais escura e menos urbana, a cidade trazia outras ações e interpretações do mundo. As crenças, tradições e conhecimentos eram menos plurais e pouco acessíveis para a grande maioria, o que motivava explicações fantásticas e a criação de seres míticos. Essa outra paisagem estimulava diferentes formas de conviver, trabalhar, brincar e amar.

Certamente esse trabalho trará lembranças aos leitores e a rememoração de tantas outras histórias, não apenas de São Carlos, mas de todas as cidades que ainda guardam e ouvem seus idosos. Para a Pró-Memória, esse trabalho, com uma nova linguagem propiciada pelo talento dos desenhistas do Estúdio Lucidi, compartilha traçados da história da cidade para públicos de outros lugares e reafirma a preocupação da instituição em ser um canal de divulgação do patrimônio cultural local em todas as suas formas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


* Apresentação original do livro "Histórias curiosas de São Carlos".

 

 


 - Projeto “Estação Ferroviária de São Carlos”: pesquisas arquitetônicas, históricas, levantamento fotográfico e confecção de desenhos e plantas pertinentes à estação ferroviária de São Carlos foram realizados visando aprofundar o conhecimento sobre este importante patrimônio construído da cidade e instrumentalizar o processo de tombamento do complexo ferroviária da estação, realizado em dezembro de 2016. Nesta pesquisa, as três divisões da Pró-Memória, com a coordenação da Diretoria de Patrimônio Cultural, trabalharam em conjunto e redigiram o "Relatório de Tombamento da Estação Ferroviária de São Carlos", material que se pretende publicar em breve devido ao extremo interesse sobre este patrimônio não apenas entre os pesquisadores, mas por toda a população local.

Topo