FundaÁ„o Prů-Memůria de S„o Carlos

Companhia Paulista

Al√©m das quest√Ķes materiais, a esta√ß√£o ferrovi√°ria abriu um novo mundo de t√©cnicas, tecnologias, pessoas, culturas e modos de viver (e trabalhar). Atrav√©s da m√°quina do s√©culo, a locomotiva, a ferrovia imprimiu novos ritmos a vida das cidades, tanto em quest√Ķes pr√°ticas quanto no imagin√°rio de modernidade que se impunha naquele momento.
O sucesso da empreitada j√° podia ser observado nos relatos de √©poca da visita do Imperador Dom Pedro II √† cidade para a ‚Äúreinaugura√ß√£o‚ÄĚ da estrada de ferro em 1886. A da√ß√£o do t√≠tulo de Visconde do Pinhal para Arruda Botelho e a presen√ßa do imperador na cidade com declara√ß√Ķes elogiosas parecem enfatizar o desenvolvimento experimentado ap√≥s a chegada da estrada de ferro.



Logo nos primeiros anos a atua√ß√£o da Companhia Paulista em S√£o Carlos fez diversos investimentos foram feitos na regi√£o, como a entrega dos ramais de √Āgua Vermelha (1893) e Ribeir√£o Bonito (1894) e a constru√ß√£o do ramal de Santa Eud√≥xia (1893), principal √°rea de produ√ß√£o de caf√© no Munic√≠pio.

 

Topo