Fundação Pró-Memória de São Carlos

Fundação Pró-Memória de São Carlos

Entrega das Obras de Acessibilidade

PRÓ-MEMÓRIA E IPHAN ENTREGAM AS OBRAS DE ACESSIBILIDADE NO PRÉDIO DA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA

 

No último dia 20 de dezembro, a Pró-Memória e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional entregaram as obras de acessibilidade realizadas no prédio da estação ferroviária de São Carlos através de Convênio assinado em 2013. Estiveram presentes a solenidade as representantes do IPHAN-SP, Carolina Pádua e Andressa Cyrillo, o Prefeito Paulo Altomani, a Primeira-Dama Alice Altomani e demais representantes do poder público local.

O projeto previu diferentes obras de adequação de áreas de guarda do Arquivo Público e Histórico (APH-FPMSC), a criação de salas de ação educativa e oficinas e adaptações do prédio aos portadores de necessidades especiais. Foram implementadas as seguintes obras:

 

- reforma da garagem e instalação da oficina de marcenaria

- reforma dos sanitários da plataforma da estação e criação de um banheiro acessível

- reforma de áreas de guarda do APH-FPMSC para a criação de salas de ação educativa

- instalação de estantes deslizantes em áreas de guarda do APH-FPMSC

- construção de rampa de acesso com cobertura à plataforma da estação

- reforma e adequação de calçada da estação para acessibilidade

- instalação de piso acessível na área do Jardim da Estação

 

Em 2017, ainda estão previstas as instalações de piso tátil na plataforma da estação e de um mapa tátil, atendendo necessidades dos visitantes com deficiência visual.

Segundo a direção da Pró-Memória, "todas as ações envolvidas nesse projeto qualificaram o espaço físico da estação, permitindo o aumento da frequência de público e a revitalização das áreas de entorno. A estação ferroviária de São Carlos, que já era um espaço de interesse da população local e dos visitantes, passa a um novo estágio... um centro cultural acessível e aberto a diferentes público".

 

 

Lançamento do Livro “Histórias Curiosas de São Carlos”

PRÓ-MEMÓRIA E ESTÚDIO LUCIDI LANÇAM O LIVRO “HISTÓRIAS CURIOSAS DE SÃO CARLOS”

 

No próximo dia 15 de dezembro acontecerá o lançamento do livro “Histórias Curiosas de São Carlos”, fruto da parceria entre Fundação Pró-Memória e Estúdio Lucidi.

O projeto “Histórias Curiosas de São Carlos” nasceu da proposta em destacar as pequenas histórias e causos contados principalmente pelos mais velhos, quando rememoram seus passados ou fazem suas rodas de conversa. Tais histórias trazem modos de viver, pensar e interpretar o cotidiano e o desconhecido de forma peculiar e que, muitas vezes, são estranhos ao que hoje compreendemos e vivemos como “normal”.

Os casos e causos relatados pelos mais velhos – ou rememorados pelos mais jovens – não apenas têm a função de integrar quem os ouve, mas marca memórias e tradições da região em que vivem. A transmissão desses conhecimentos e experiências aos ouvintes oferecem percepções distintas sobre a construção desse lugar em que estão todos inseridos social e espacialmente.

O projeto foi realizado pela Pró-Memória em parceria com o Estúdio Lucidi, escola de desenho que, por meio de uma iniciativa de seu proprietário Filipe Lucidi, já havia desenvolvido histórias em quadrinhos sobre o que ouviu, enquanto criança, dos moradores do bairro do Monjolinho (atual Vila Celina). A parceria amadureceu e ampliou o escopo das narrativas, dando origem ao livro “Histórias Curiosas de São Carlos”. Nessa obra, misturam-se relatos, quadrinhos e ilustrações que dão cores e formas aos causos, personagens e historietas contados pelos entrevistados de diferentes regiões da cidade.

 

HISTÓRIAS CURIOSAS DE SÃO CARLOS

Dia: 15 de dezembro de 2016

Horário: 18h30

Local: Estúdio Lucidi (Rua Major Manoel Antônio de Mattos, 1231, Jd. Ricetti, São Carlos/SP)

 

Publicações FPMSC

No dia 29 de novembro, a Fundação Pró-Memória lançou quatro novas publicações: A morada dos mortos; Praças de São Carlos - edição atualizada; A Guerra Civil de 1932; e Guia de Fundos e Coleções.

As obras foram desenvolvidas por diferentes setores da Pró-Memória e, excetuando o “Guia de Fundos e Coleções”, estarão disponíveis para venda.

Os livros podem ser encontrados na Loja do Museu de São Carlos, das 9h às 11h. A Loja fica na plataforma da estação ferroviária de São Carlos (Praça Antonio Prado, s/n, Centro, São Carlos/SP). 
 

 

 

 

 

 

A MORADA DOS MORTOS
Julio R. Osio (DPD-FPMSC)

A morada dos mortos: trata de aspectos históricos dos cemitérios municipais de São Carlos entre 1957 e 1930.

 

Preço: R$ 25,00

 

 

PRAÇAS DE SÃO CARLOS
Divisão de Pesquisa e Divulgação (DPD-FPMSC)

Edição atualizada do livro de mesmo título, lançado em 2014, e que traz informações sobre as diversas praças do Município. A pesquisa, coordenada pela historiadora e chefe da Divisão de Pesquisa e Divulgação, Leila Massarão, vem sendo realizada desde 2004 e é um projeto contínuo da instituição..

 Preço: R$ 10,00

 

 

 

A GUERRA CIVIL DE 1932
Museu de São Carlos e DPD-FPMSC

Livro-catálogo da exposição de mesmo nome produzida pelo Museu de São Carlos e que ficou disponível ao público entre maio de 2015 a agosto de 2016.

 

 

Preço: R$ 15,00

 

 

 GUIA DE FUNDOS E COLEÇÕES
Divisão de Arquivo e Documentação (DAD-FPMSC)

 O “Guia de Fundos e Coleções” foi desenvolvido pela Divisão de Arquivo e Documentação e traz uma descrição dos principais fundos e coleções documentais que compõem o acervo da FPMSC. Esta é a 3ª edição atualizada do “Guia”.

 

Distribuição gratuita

 

 

Mais informações pelo telefone (16) 3373-2700 ou pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

 

 

Palestra da documentalista da FPMSC na UFSCar

No último dia 24 de novembro, a documentalista da Fundação Pró-Memória, Aline Ulrich ministrou a palestra “Formas de organização de acervos culturais” para os alunos da disciplina de Análise das práticas culturais discursivas, ofertada pelo departamento de Ciência da Informação no curso de Biblioteconomia e Ciência da Informação da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). A palestra teve como objetivo apresentar os diversos trabalhos executados na Pró-Memória no trato com seus acervos.

 

 

 

 

 

 

 

Ação Educativa

Colégio Equipe (São Paulo/SP) visita a Fundação Pró-Memória

 

No dia 19 de outubro, alunos do ensino médio do Colégio Equipe, da cidade de São Paulo, visitaram a Fundação Pró-Memória de São Carlos. Na ocasião, os visitantes foram recebidos pelos arquitetos da instituição que ministraram uma palestra sobre a atuação da Pró-Memória nas políticas patrimoniais. Na sequência, os alunos conheceram as dependências da estação ferroviária. O Colégio Equipe tem visitado regularmente a Fundação Pró-Memória nos últimos anos, sempre com novas turmas de alunos.

 

 

 

Oficinas Patrimoniais

A partir do dia 29 de agosto terão início as Oficinas Patrimoniais da Pró-Memória. As atividades serão oferecidas na estação ferroviária de São Carlos e no Museu de Pedra, no distrito de Santa Eudóxia.
Confiram o calendário:

FUNDAÇÃO PRÓ-MEMÓRIA (ESTAÇÃO) Pout-pourri de mosaico Terças e quintas-feiras, das 9h às 12h Restauro de móveis Quintas-feiras, das 8h30 às 11h Pintura em aquarela Sextas-feiras, das 14h às 17h Recriando no vidro Segundas e quartas-feiras, das 14h30 às 17h Reciclagem com sacolas plásticas Terças-feiras, das 14h às 17h MUSEU DE PEDRA (SANTA EUDÓXIA) Olhares – fotografia Sábados, das 9h às 11h30 Fuxico Sábados, das 9h às 12h Patch colagem em feltro Sábados, das 14h às 16h Mais informações pelo telefone 3373-2700, ramal 204 ou pelo e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Monitorias

FPMSC OFERECE MONITORIAS PARA O CENTRO POP DE SÃO CARLOS


A Fundação Pró-Memória iniciou monitorias de apoio às Oficinas de Fotografia promovidas pelo Centro POP de São Carlos. O órgão, que atende pessoas em situação de rua, tem utilizado as oficinas como meio de envolver os usuários do serviço na compreensão dos espaços públicos a partir de suas próprias visões.
A equipe do POP e seus usuários visitaram as praças dos Voluntários, Maria Apparecida Resitano (Mercado Municipal) e Pedro de Toledo (Piscina) e foram monitorados pela historiadora Leila Massarão, da FPMSC. Na última semana, o grupo visitou a Fundação Pró-Memória e a Praça São Benedito.

 

 

Pintura da Estação

PRÓ-MEMÓRIA REALIZA A PINTURA DA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DE SÃO CARLOS

A Fundação Pró-Memória iniciou a pintura do prédio da estação ferroviária de São Carlos. Além de garantir a manutenção das características do prédio, a nova pintura é necessária para sua conservação, inibindo a ação nociva do tempo e de fenômenos como a poluição.

 As cores adotadas mantém o padrão daquelas utilizadas anteriormente no prédio, conforme corrobora a prospecção realizada na fachada, e que ainda estão marcadas na memória dos são-carlenses.

 A empresa responsável pela pintura foi contratada pela Pró-Memória através de licitação e o valor de contrato ficou em torno de 57 mil reais, incluindo mão de obra e material. Foi realizada a pintura externa do prédio e a interna do andar superior.

 

Prospecção

RESTAURADOR FAZ PROSPECÇÃO DA FACHADA EXTERNA DO PRÉDIO DA ESTAÇÃO


Na última semana, o restaurador Salvador de Cápua realizou uma janela de prospecção na fachada externa do prédio da estação ferroviária de São Carlos. O trabalho foi realizado visando o registro das camadas anteriores de pintura e de algumas das características das configurações originais do prédio.

Inaugurado em 1884, o prédio da estação ferroviária era, originalmente, coberta por tijolos a vista, recurso comum nos prédios industriais e ferroviários do século XIX. A partir do início do século XX, a Companhia Paulista de estradas de ferro iniciou a reforma, reconstrução e ampliação de muitas das estações sob seu gerenciamento. Em São Carlos, o prédio foi recoberto por uma camada de reboco reforçado com pedaços de tijolos e outra camada de reboco que trouxe características decorativas e construtivas do ecletismo, estilo arquitetônico em ascensão naquele momento, e que ainda estão presentes em sua fachada.

Essas informações foram levantadas através de pesquisas históricas sobre o prédio e consolidadas pela prospecção realizada por Cápua. O trabalho do restaurador ainda permitiu a recuperação de cinco camadas de tinta que foram utilizadas no prédio da estação.

O prédio da estação ainda possui algumas janelas de prospecção na parte interna do prédio, permitindo visualizar algumas de suas cores antigas e decorações pictóricas existentes em outros momentos da história do prédio.

Janela de prospecção

A janela de prospecção é um espaço de observação das condições anteriores de um prédio, possibilitando vislumbrar características históricas da obra. A prospecção é feita a partir da seleção de um trecho da parede, normalmente em formato retangular, onde é realizada uma cuidadosa extração das camadas que a formam, expondo as características e condições das camadas de pintura mais antigas e permitindo a visualização de suas configurações originais ou anteriores à pintura mais recentemente.

Topo